Pesquisar

Historial

63 - Demónios

Ficha Técnica

 

Demónios
de Lars Norén

 

Encenação José Wallenstein

Tradução Melanie Mederlind e José Wallenstein

Apoio dramatúrgico Melanie Mederlind

Cenário e figurinos Vera Castro

Desenho de luzes Jorge Ribeiro

Direcção técnica Luís Mouro

Montagem Manuel Vitória e Fenando Correia com Alexandre Freitas

Montagem eléctrica, operação de luz e som Pedro Marques

Contra-regra Alfredo Martinho

Cartaz Cristina Reis

Interpretação (por ordem de entrada em cena)

Catarina Teresa Roby

Gil Nuno Melo

Lena Luísa Cruz

Tomás José Airosa

 

Colaboração de Manuel Reis; Margarida Subtil, Eugénia Vasques, J. M. Franco, Lennart Alves e Nuno Rebelo

 

Lisboa: Teatro do Bairro Alto. Estreia: 02/04/1997

23 representações

Companhia subsidiada pelo Ministério da Cultura

Apoio de Rádio XFM, RTC, Rádio Nova, Loja da Atalaia, Móveis 4 e Philips

Este Espectáculo

Encenar DEMÓNIOS, para mim, é antes de mais regressar ao realismo, ao Teatro de personagens comuns, com os seus problemas, que são a dimensão do mundo. Regressar aos pequenos gestos, às palavras sem grande importância, porque tudo se joga por detrás delas.

Trabalhar este tipo de texto permite-nos confrontar com a nossa própria vida. Quantas vezes não contámos nos ensaios histórias pessoais a propósito das cenas que estávamos a fazer. É este um dos privilégios desta profissão.

Um cenário como uma folha em branco onde os corpos escrevem, alguns objectos, a luz como ambiente, mais nada. Depois, o prazer da representação, do jogo. O prazer de estar com estes quatro maravilhosos actores, num espaço onde me fizeram sentir como em casa, a Cornucópia.

E, tendo como pano de fundo o universo burguês a que pertenço, alguns temas: a família, os afectos, a morte e a luta contra a solidão, que é aquilo que nos move. Dependemos uns dos outros, não há nada a fazer.

Vivemos prisioneiros dentro de um corpo e de uma alma, de um demónio. O que importa é tentarmos viver bem.

 

José Wallenstein

Imagens

fotografias de Paulo Cintra e Laura Castro Caldas ©